Moisés e o povo em direção a Canaã

Célula Infantil

Estudo de Célula para Crianças

Conhecendo o Plano de Deus para mim. 

Estudo 9

Textos-base: Nm 10:29; 12:3; 20:10; 31:03 / Dt 33:01; 34:05 / Mt 17:03; 4:7 / At 7:22 / Hb 11:24.

“Por que clamas a Mim? Dize aos filhos de Israel que marchem” (Êxodo 14:13)

O Senhor deu a Moisés a tarefa de tirar os israelitas da escravidão do Egito, porque Seu plano para todos nós é que tenhamos liberdade, que sejamos livres para lhe prestar o puro e perfeito louvor.
Após o último sinal no Egito, que foi a morte dos primogênitos, faraó permitiu que o povo saísse. Assim, celebrada a primeira Páscoa, o povo juntou todas as suas coisas e partiu, juntamente com Moisés, para o deserto. Em Êxodo 13:21-22 podemos ver o cuidado e a fidelidade de Deus para com o Seu povo escolhido: “E o Senhor ia adiante deles, de dia numa coluna de nuvem, para os guiar pelo caminho, e de noite numa coluna de fogo, para os alumiar, para que caminhassem de dia e de noite. Nunca tirou de diante da face do povo a coluna de nuvem, de dia, nem a coluna de fogo, de noite”.

Faraó arrependeu-se de ter deixado o povo ir e enviou seu exército atrás dele. Quando os israelitas viram o grande exército dos egípcios que vinha atrás, começaram a questionar Moisés, a reclamar por terem saído do Egito. Moisés os admoestou a confiar em Deus, pois Ele os livraria e pelejaria por eles. O Senhor disse a Moisés que mandasse o povo marchar e que ele levantasse sua vara sobre o mar para que o povo passasse. E assim Moisés fez. Ao estender a vara e tocar as águas, estas se abriram e o povo passou pelo meio do mar, a pés enxutos. Ao chegarem ao outro lado, Moisés, novamente, tocou as águas que voltaram a se fechar, tragando todos os soldados e seus cavalos (Ex 14).
Moisés louvou ao Senhor pelo Seu grande feito e Miriã, sua irmã, dançou na presença do Senhor (Ex 15).
Durante todo o tempo que o povo passou no deserto, não lhe faltou o pão diário, pois o maná caia do céu todos os dias em quantidade necessária para cada um (Ex 16:4,5); quando o povo começou a reclamar que queria, também, carne, pois estavam enjoados só de maná, o Senhor enviou codornizes (Ex 16:13); quando a água estava amarga, o Senhor a tornou doce, para que bebessem (Ex 15:25).

Deus chamou Moisés ao Monte Sinai. Por vários dias Moisés permaneceu no Monte, em completa intimidade com o Senhor. Ali Ele lhe deu as Tábuas da Lei, as instruções para que construísse o Tabernáculo, pois o Senhor queria agora morar no meio do Seu povo.
Vendo o povo que Moisés demorava, a raiz de idolatria que traziam do Egito levou-os a fazer um bezerro de ouro, dizendo a Arão: “Levanta-te, faze-nos deuses que vão adiante de nós, porque quanto a este Moisés, a este homem que nos tirou da terra do Egito, não sabemos o que lhe sucedeu” (Ex 32:1).
O Senhor irou-se e disse a Moisés que iria destruir aquele povo, mas não o fez, pois Moisés intercedera por ele. Mas, ao chegar ao acampamento e encontrar o bezerro de ouro e o povo cantando e dançando para ele, acendeu-se o furor em Moisés, a tal ponto, que jogou ao chão as preciosas Tábuas escritas por Deus com os mandamentos e mandou matar todos os idólatras (Ex32).

Moisés era um homem que tinha intimidade com Deus. O Senhor falava com ele face a face, e fazia grandes coisas através dele, como abrir o Mar Vermelho, tirar água de uma rocha, etc. O seu rosto brilhava intensamente com a presença de Deus (Ex 34:29). Apesar de tudo isso, o povo ainda duvidava do cuidado de Deus e da autoridade do seu líder. Murmuravam de tudo, embora a nuvem não saísse de sobre eles de dia, nem faltasse a coluna de fogo à noite; embora não lhes faltasse alimento, nem água; embora suas roupas não se gastassem nem suas sandálias ficassem pequenas. Por causa disso, sua passagem pelo deserto, que duraria apenas 40 dias do Egito até Canaã, prolongou-se por 40 anos.
Deus quer cuidar de nós em todos os momentos da nossa vida. Quer ser a nossa cobertura diária, a nuvem de proteção sobre nós, o nosso sustento e a nossa guarda. O Seu plano para nós é que sejamos dependentes d’Ele em tudo. Salmo 23:1 diz que Ele é o nosso bom pastor e que nada nos faltará. Só precisamos crer nisso e seremos supridos em tudo, amém?

Fonte: Núcleo de apoio cristão
Palavra: Pastores Luiz e Regina Vasconcelos – MIR

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

...