O que Jesus quis dizer com: Deixe aos mortos o sepultar os seus próprios mortos?

Essa expressão dita por Jesus está registrada nos evangelhos de Mateus 8.18-22 e em Lucas 9. 57-62. A primeira coisa que devemos observar atentamente é que Jesus está colocando à prova alguns que desejam segui-Lo. Jesus nunca foi de enganar as pessoas e prometer moleza. Nunca omitiu o nível de comprometimento que era exigido para segui-Lo. Assim, ele chega a dizer a um escriba super empolgado para segui-Lo: “As raposas têm seus covis, e as aves do céu, ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça.” (Mt 8.20). No texto não temos a resposta desse escriba e nem a informação se ele permaneceu com Jesus depois dessa dura palavra de Cristo. Jesus estava como que ‘peneirando’ para encontrar seus verdadeiros e fieis discípulos.

Após esse escriba, outro rapaz, que, segundo o texto, já era discípulo, coloca como que uma condição diante do chamado de Jesus: “A outro disse Jesus: Segue-me! Ele, porém, respondeu: Permite-me ir primeiro sepultar meu pai.” (Lc 9.59).

É pouco provável que o pai desse discípulo tivesse morrido e ele estivesse ali longe de sua família à espera de uma espécie de autorização para ir sepultar seu pai. O mais provável é que esse discípulo estivesse querendo autorização de Jesus para cuidar de seu pai até que esse morresse. Cuidar dos familiares mais velhos era algo muito forte na cultura judaica. Assim, esse rapaz não estaria pedindo nada de mais a Jesus. Porém, a resposta de Jesus foge a uma resposta comum e esperada: “Mas Jesus insistiu: Deixa aos mortos o sepultar os seus próprios mortos. Tu, porém, vai e prega o reino de Deus.” (Lc 9.60).

Alguns podem taxar Jesus de desumano, considerando a dureza de sua declaração. Porém, Jesus não tinha o costume de ser desumano e nem o seria. Jesus tratava com as pessoas, dizendo-lhes exatamente o que precisavam ouvir. Foi assim com o jovem rico. Jesus foi duro porque viu em seu coração que o deus dele era as riquezas. Com a mulher samaritana o discurso de Jesus também foi firme. Assim, não tenho dificuldades de crer que Jesus estava tratando algo especial na vida desse discípulo. Talvez a sua excessiva preocupação com o pai fizesse com que o reino de Deus não fosse prioridade em sua vida. Jesus, então, coloca as coisas nos seus devidos lugares. Qualquer coisa que estivesse acima do reino do Deus deveria ser repensada, ainda que fosse culturalmente aceita. Ninguém pode servir a dois senhores!

A palavra de Jesus toma um tom ainda mais forte se considerarmos que o pai do rapaz estivesse mesmo morto naquele dia. Jesus estaria exigindo lealdade exclusiva. De qualquer forma, sabemos através das palavras de Jesus, que nossa prioridade no reino de Deus deve exceder qualquer outra prioridade, mesmo as culturais e sociais. Isso fica claro quando Ele diz: “Mas Jesus lhe replicou: Ninguém que, tendo posto a mão no arado, olha para trás é apto para o reino de Deus.” (Lc 9.62).

A respeito da expressão focada nesse artigo, alguns sugerem que Jesus fez uma espécie de trocadilho, que signifique algo como: “Deixe os espiritualmente mortos sepultar os fisicamente mortos”, mostrando que as outras pessoas podiam cuidar do pai do rapaz. Porém, o mais importante nesse texto, é entender toda a questão que Jesus quis tratar ali naquele momento, conforme discorri acima.

Fonte: Presbítero André Sanchez
esboçandoideias.com

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *