Expressões Físicas durante Louvor e Adoração

Adoração

Pular, gritar, erguer as mãos, bradar, correr, dançar por horas seguidas… O que é certo? Qual o limite? Como devemos reagir? Será que eu também devo?

Bem, estas são muitas das perguntas que temos. Geralmente ficamos com um “pé atrás” quando vemos as coisas acontecendo durante o louvor e adoração. E realmente a nossa atenção é cativada pelo que os nossos olhos estão vendo.

A pergunta de muitos é: o que tem fundamento bíblico e o que não tem? Como sei onde é o limite? Existe limite?

Analisemos algo, existem mais de 50 palavras no original para a palavra LOUVOR. E todas elas, sem exceção, são verbos que transmitem a idéia de AÇÃO.

O louvor nunca é algo contemplativo, meditativo, em silêncio. Ou seja, em outras palavras, se você diz estar louvando, você tem que estar exercendo alguma ação com seu corpo ou voz.

Por exemplo, a palavra Barak significa louvar, reverenciar, bendizer (‘diz bem de… ‘). A palavra Yadah significa confessar com mãos levantadas. Zamar, por sua vez, quer dizer fazer melodia ou dedilhar com cordas. Temos também Shabach, que é aclamar em alta voz, glorificar com louvor. Uma das palavras que mais gosto é Halal, que significa fazer barulho, fazer um claro e brilhante som, celebrar, PARECER TOLO!

E então? Como pode? Essas palavras só têm sentido quando colocamos em prática. Quando olhamos para um irmão, e ele está rolando, caído no chão, rindo, correndo pelo templo, ou pulando feito louco, por que é que muitas vezes nós o julgamos?

A palavra nos manda fazer barulho, nos manda levantar um glorioso louvor, e para isso, poderemos até “parecer tolos”. O nosso louvor tem que ser claro e brilhante: “Bendizei, ó povos, o nosso Deus; fazei ouvir a voz do seu louvor” (Sl 66:8).

Algo distintivo sobre louvor é que ele TEM QUE SER EXPRESSO seja através de canto, dança, instrumentos, gritos, proclamação, etc. Ou seja, ele tem uma natureza e forma extrovertidas.

Meditação não é louvor. Se você estiver assentado, observando, quieto, ou imóvel, você não estará louvando. Você pode até estar adorando, mas não está LOUVANDO!

E para terminar, quero deixar algumas razões pelas quais devemos louvar:
1) Porque somos ordenados a fazê-lo. (Sl 150:1)
2) Porque Deus habita no meio dos louvores. (Sl 22:3)
3) Há poder no louvor (Sl 149:6).
4) Porque é bom louvar a Deus (Sl 92:1; Sl 135:3)
5) Porque fomos criados para isso (I Pe 2:9; Is 43:21)
6) Acima de tudo, porque ELE É DIGNO E MERECEDOR! (Sl 48:1; Ap 4:11)

Nós louvamos a Deus quando nos achegamos a Ele. Quando Ele se achega a nós, então nossa única reação é adorar! Louvor é o que fazemos para que Ele venha! Adoração é o que fazemos quando Ele se manifesta!

Louvor nos traz à presença de Deus! Adoração responde à presença de Deus! Portanto, abra sua boca aí mesmo onde você está! Que os altos louvores do Senhor sejam ouvidos em sua vida!

Raquel Emerick Fernandes é diretora do departamento de música
do Cristo Para As Nações na cidade de Belo Horizonte/MG.
Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *